Internet das Coisas: você está preparado?



Internet das Coisas, ou Internet of Things, é um termo que já não é novidade. Essa tecnologia diz respeito a um cenário onde objetos de uso cotidiano estão conectados à internet e estabelecem comunicação com o usuário. A perspectiva é que a IoT transforme a forma como as pessoas interagem com a tecnologia e com o mundo ao seu redor. 



Esse contexto não está distante da realidade atual, uma vez que muitas pessoas e empresas já utilizam equipamentos conectados à internet para realizar atividades específicas. Como exemplos, é possível citar câmeras de segurança com monitoramento à distância e Smart TVs, que acessam serviços na internet sem conexão com um computador ou smartphone.

Porém, a ambição da tecnologia em IoT vai além. A ideia é que outros aparelhos, como geladeira, máquina de lavar, lâmpadas, etc, passem a utilizar a conexão à internet para se comunicarem com os usuários, informarem dados pertinentes ao meio e resolverem questões do dia a dia. A proposta é que a conectividade deixe os objetos mais eficientes e atribua a eles complementos úteis adicionais. A grande quantidade de dados geradas a partir dos dispositivos conectados à internet torna imprescindível o uso do Big Data para o rastreamento e a análise dessas informações. 

Para que se tenha uma aplicação de IoT, é necessária a combinação de três componentes, sendo eles dispositivos, redes de comunicação e sistemas de controle. Os dispositivos são os objetos ou eletrodomésticos que receberão um chip, sensor ou antena, com recursos de comunicação e monitoramento. As redes de comunicação são as tecnologias já conhecidas, como wi-fi, bluetooth, NFC e dados móveis, como 3G e 4G, para dispositivos como tablets e smartphones. Já os sistemas de controle se referem à aplicação que processará, tratará e enviará os dados para o usuário. Há uma tendência na indústria para que sejam estabelecidos padrões tecnológicos no desenvolvimento de aplicações de IoT, a fim de garantir mais segurança, integridade, disponibilidade e desempenho. 

A IoT possibilita inúmeras oportunidades e conexões. As aplicações para a qual se projeta o uso da tecnologia vão desde objetos de uso cotidiano pessoal, até a automação da infraestrutura de cidades inteiras. A previsão é que a tecnologia da Internet das Coisas contemple e apresente avanços significativos ao setor privado, como nas áreas da saúde, agropecuária, logística, fábricas e lojas, entre outras; e no setor público, como no sistema de transporte urbano, tráfego de veículos, controle de resíduos, entre uma infinidade de outras possibilidades.

Mas, é claro que existem riscos associados a essa tecnologia. Por se tratar de um sistema totalmente online e que funciona acoplado a um software, ele não está livre de falhas de uso e de segurança. Os riscos podem ser tanto de ordem individual, quanto coletiva, pois o erro pode comprometer o funcionamento do sistema de um objeto doméstico ou o trabalho de muitas pessoas que dependem de um aparato eletrônico numa grande empresa. Por isso, é importante que a indústria esteja engajada no desenvolvimento de sistemas que garantam disponibilidade dos serviços, proteção de comunicações, definição de normas para privacidade, confidencialidade de dados, integridade, entre outros, e claro, seja transparente com os usuários quanto aos riscos.

Será que num futuro não tão distante estaremos todos interconectados aos objetos ou haverão limitações significativas?


Conheça soluções de mobilidade digital para o seu negócio: www.fluidobjects.com.br
Baixe nosso e-book e entenda por que sua empresa deve mudar para o mobile

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aplicativos corporativos personalizados: entenda o custo-benefício

Transformação digital: é tempo de mudança

Como otimizar resultados com e-mail marketing